Aetatem ( 1)

Todos queremos  chegar a velhos. Não queremos envelhecer. Abertura.

Temos uma recordista na clínica. Tem noventa anos. Vive numa aldeia a cinco quilómetros da vila.  Todo os  dias vai de manhã ao pão. De bicicleta. Costuma esquecer-se de qualquer coisa e volta  lá à tarde. Vinte  quilómetros diários. No outro dia disse-lhe que tem de usar  capacete. Respondeu-me que não lhe apetece.
Não é uma história engraçada. Ela vive  danada por não poder  trabalhar na fazenda: Agora  só pedalo. Se o capacete lhe permitisse  cavar batatas outra vez, usá-lo-ia até  no banho.

Para ela, como para todos nós , o peso da  idade é a barbacã da muralha: separa-nos  das nossas defesas.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tatoo you

A paz de Tyrnau

PSD ( 9)