O tempo irreparável ( 3)

É potável a obsessão com o apagar das marcas do tempo no corpo. É uma indústria que se cruza com outra, a do turismo de massas: desconto senior /   spa, máscara de lama e banho de algas/ sinta-se jovem de novo. Nada a opor, cada um põe o dedo no dique como bem entende.

Outra possibilidade é ir com o tempo. Aceitar que uma relação veterana já deu o que tinha a dar, fazer as pazes com um amigo desavindo, mudar o óleo do motor  do carro na altura  certa.
Quando nos despedimos de um amor num aeroporto,  damos um beijo e contemos as lágrimas; não fazemos sexo.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tatoo you

A paz de Tyrnau

PSD ( 9)