O politicamente correcto: brevíssima nota

Terá  vagamente sido aqui que tudo  começou  ( e não no "estalinismo"), dizem alguns. Um exagero, mas há no texto uma frase chave:

"Then, from the point of view of the masses, what should be the criteria today for distinguishing fragrant flowers from poisonous weeds?".

O texto é tenebroso e envergonha qualquer bom esquerdista de hoje, mas Mao foi a inspiração da extrema esquerda americana  e europeia.  E deixou raízes, uma delas a  permanente  vigilância do pensamento das massas e uma insuportável pretensa superioridade intelectual.

Pois é, mas a  verdade é que o termo foi usado pela primeira vez ( com relevância pública) contra o politicamente correcto. Foi um  grupo precursor,  o Lesbian Sex Mafia ( *):

"The Lesbian Sex Mafia is a
support group for women, particularly lesbians, who practice, advocate, or enjoy fantasies which involve some
aspect of "politically incorrect" sex. We are a coalitionist group committed to the active support
of radical
perverts in all circles of society. We believe that all sexually active women are named sexual outlaws in an
authoritarian society, but that the penalties vary enormously based on questions of sexual preference, age, class,
color, ethnic origin
, and political activity. We are committed to the empowerment of the individual
-
the right of
every woman to use her sexual body as she chooses”.
(Lesbian Sex Mafia 1983, p.601)

Todo o aparelho de dominação cultural era politicamente correcto, o Lesbian Sex Mafia tinha razão. A mulher dona de casa, o prazer sexual reservado  às cabras, a obediência  estrita ao pater familias, os dress codes etc. No sentido maoísta, as sementes  venenosas eram as da sedição imoral e debochada.
 

 No plano dos estudos pós-coloniais, é a vida. Só um descerebrado ignora   que o imperialismo europeu e o seu filho, o aparelho colonial assentaram na ideia de superioridade técnica e moral sobre os selvagens. Selvagens é como quem diz. Os ingleses colonizaram uma civilização , a hindu, que já tinha literatura ( a smriti ) ainda eles andavam seminus às voltas com os romanos. A Inglaterra chegou a dominar mais de 35 milhões de km2. Parece que passou muito tempo, mas não. Eu andava na escola e ainda  uns tipos, os portugueses, possuiam países em África.


 O facto de hoje existir uma reversão da superestrutura ( ironizando um bocadito)  no ambiente académico e mediático é um ar do tempo e é normal na história das ideias. Existem agora  tiques  mandões  em muitos  hoplitas fanáticos? Claro, como antes existiam da parte da velha  ordem pré- 60.  Existem duplos padrões nos novos moralistas? Sim , em alguns. Por exemplo:

a) São pouquíssimos os movimentos  LGBT  a fazer campanha em bairros muçulmanos na Europa. Estranho, porque as muçulmanas são cidadãs  de pleno direito.  Se o politicamente correcto de ontem se desculpava com a manutenção da moral pública, o de hoje serve-se do " não podemos dar pretexto à islamofobia". Isto quando dá alguma justificação, bem entendido.

b) Fortes do aparelho de dominação intelectual e donos do novo arquivo das representações dominantes ( para usar um conceito de Edward Said), não têm problemas em reescrever o que lhes apetece desde que sirva o mando e o couto.


Camus ( no L'Été deixou-nos uma boa pista : O Homem não é inteiramente culpado : não começou a História; também não é de todo inocente, porque  a continua




* Anna Robinson, 2015, "Passion, politics, and politically incorrect sex: towards a history of lesbian sadomasochism in the USA 1975-1993."









Comentários

Mensagens populares deste blogue

A paz de Tyrnau

Talvez

Sinais (12)