Terapia ( 2)

Os mais difíceis são os cachorros abandonados.  Um pai mau, um marido  egoísta, um patrão negligente. Choram baba e ranho, normal, o problema é que têm uma carapaça. Estão convencidos de que  uma injustiça  mortal se abateu sobre eles. A vida que vão vivendo confirma a certeza. É um ciclo vicioso.
O trabalho é de dentista. Tratamento de canal moroso, restauração frágil. São os mais difíceis porque  resistem à terapia. Habituaram-se à incompreensão do mundo, não sabem viver sem ela.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Talvez

Sinais (12)

O medo das redes sociais