Terapia ( 6)

E quando um  tipo não está para ouvir pessoas? Nunca me acontece. Nada de precipitações: muitas vezes a  cinco metros da clínica ainda estou nesse estado. 
Almocei bem, fiz a sesta e apetecia-me ficar a ler coisas inúteis. Costumo ir a pé. A cabeça vai-se ordenando. Os hábitos escolhidos  são  da autonomia ( já dizia o doido do Deleuze) , afastam-nos do comportamento aditivo e da obsessão. 
Quando acabo, pelas nove e meia da noite em média, tenho o hábito de ir para casa. É uma rotina escolhida: quero ir.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A paz de Tyrnau

Talvez

Sinais (12)